Trends

CCO da Kobe Apps destaca vantagens que a criação de aplicativos pode trazer para e-commerces

Fabricio Lösch participou do primeiro "Digital Commerce - O Evento" na terça-feira (10), no Teatro Paiol, em Curitiba.

Navegue pelo texto

Para se destacar e posicionar uma marca na internet há muitos obstáculos. Contudo, segundo o CCO da Kobe Apps, Fabricio Lösch, uma maneira que atualmente está mais simplificada para realização e que entrega um bom resultado para as empresas é a criação de aplicativos.

Durante o bate-papo "O aumento de conversão e retenção com mobile e-commerce", no primeiro "Digital Commerce - O Evento", feito na terça-feira (10), no Teatro Paiol, em Curitiba, Lösch destacou vantagens em investir nos apps.

“Hoje, 65% da população mundial acessa pelo smartphone, a gente tem três vezes mais celulares do que computadores pessoais. Fazendo um corte daqui, segundo o E-Commerce Brasil, 90% de quem acessa o dispositivo celular prefere comprar pelo app ao invés de comprar pelo computador pessoal. Uma ótima oportunidade que a gente tem aqui é questão de canal, só 18% das marcas brasileiras tem seu próprio app”, disse ele.

Fabricio Lösch contou que a Kobe é uma plataforma SaaS (Software como Serviço) para construir e gerenciar aplicativos personalizados de mobile commerce. Uma tecnologia pensada para grandes marcas escalarem as vendas.

“Muitas marcas viam o app como somente mais um canal que era muito caro de ter, porque tinha que ter um corpo técnico, precisava de um desenvolvedor e uma série de outras coisas, então a gente acabou um pouco com essa necessidade de ter todo esse corpo técnico para construir um produto de fato para o cliente poder usufruir. A gente tira a necessidade desse custo operacional e entra mais no que se deve focar, que é criar marketing e campanha para o aplicativo”.

Painel "O aumento de conversão e retenção com mobile e-commerce" (Foto: Luiz Renato Corrêa/Betminds)

Porém, ele explicou que antes de investir em um aplicativo para uma empresa ou marca, é necessário analisar com cautela a real necessidade e demanda. “O que a gente geralmente orienta é: cliente que tem recorrência faz sentido ter um app, cliente com ticket alto, cliente que tem muito gasto com marketplace. Costumo falar que a plataforma está por trás do sucesso das marcas. Mas, a primeira coisa a se fazer é analisar a quantidade de audiência que você tem, se você é um e-commerce que tem pouca audiência e a tua audiência é muito pelo web, de repente não faça muito sentido ter um app. Agora, se você é um e-commerce que está tendo uma crescente de audiência, muito direcionada para o web responsivo, é preciso começar a pensar em como melhorar a experiência de todos os clientes e, aos poucos, conseguir cada vez mais ajudar nessa taxa de conversão do responsivo também”.

O gerente de comércio eletrônico do Balaroti, Maurício Grabowski, também participou do bate-papo durante o evento e afirmou que investir no app potencializou as vendas. “A gente entende que o nosso cliente tem um ciclo de compra um pouco mais longo. Então, se ele está em uma fase de obras, ele vai passar um tempo sendo consumidor da marca, vai fazer compras recorrentes. E aí pensamos, como que a gente pode aproveitar esse momento do cliente e fidelizar ele? É claro que a gente tem o nosso site, as lojas físicas, mas quando você tem um aplicativo instalado no seu aparelho, você tem um contato com a marca mais próximo. Tem a questão de a gente também ter um controle da nossa base muito melhor, a gente consegue conversar com nossos clientes muito mais fácil”, contou.

Maurício Grabowski no Digital Commerce - O Evento (Foto: Luiz Renato Corrêa/Betminds)

Grabowski disse também que o aplicativo devido a concorrência ser grande, se a empresa não se mostrar presente no momento certo, oferecer o produto certo, vai
perder a venda de maneira rápida. “O app ajuda a fidelizar, porque como é tudo mais fácil, mais rápido, o consumidor consegue verificar mais produtos. A gente conseguiu trazer toda experiência de compra do site, a questão visual, para dentro do app também, além de conseguir fazer umas campanhas exclusivas para o app. Então, para nós foram só vantagens em investir no aplicativo”, ressaltou.

Fabricio Lösch deu algumas dicas para as marcas que já tem ou pensam em ter um aplicativo.“Tem que pensar sempre em entregar algum benefício para o consumidor que resolveu baixar o app da sua marca, como promoções especiais, experiência facilitada, então quem compra pelo app vai ter a tendência de comprar melhor. Faça vitrines, carrossel com os principais produtos, tenha uma comunicação criativa e de simples entendimento, envie push mas não desnecessariamente, etc”.

Por fim, Lösch comentou como foi participar do primeiro evento “Digital Commerce”. “Foi incrível! É muito bom estar ficando mais próximo de vocês da Betminds, acredito
que a gente tenha bastante oportunidade para trabalhar juntos. E eu espero meu convite no podcast”.

Saiba mais sobre o Digital Commerce - O Evento

E se você precisa de ajuda para desenvolver estratégias mobile para a sua empresa e melhorar as suas vendas, fale com a gente!

Acompanhe também a Betminds nas redes sociais: nos siga no linkedin, no tiktok e no Instagram

Últimos conteúdos

ver mais conteúdos

VTEX Vision Spring '24: Confira todas as novidades da plataforma

Neste ano, a empresa revelou uma série de novidades focadas em AI, novas soluções de produto, e melhorias significativas na plataforma. Vamos conferir?

24/5/2024

Certificação de patentes também é necessário para garantir segurança digital de e-commerces

Repetição de domínios sem suporte legal pode tirar sites do ar e impedir vendas na internet

24/5/2024

A profissão que poderá gerar 90 mil vagas de emprego por ano no Brasil e não é do setor de tecnologia!

Professor da Strong Business School prevê alta demanda de profissionais nos próximos anos. Saiba mais!

21/5/2024