Podcast

E-commerce de moda masculina: como oferecer uma boa experiência de compra

Neste episódio do Digital Commerce, conversamos com Juliane Brizida, Gerente de E-commerce, da Buckman Menswear, e Rafael Cintra, Head de Digital, da Democrata Calçados. Confira!

Navegue pelo texto

Os homens consomem de forma diferentes que as mulheres. As exigências são outras e a própria jornada que eles percorrem é distinta. Por isso, os e-commerces de moda masculina apresentam alguns desafios específicos.

Para falar sobre isso, convidamos Juliane Brizida, Gerente de E-commerce, da Buckman Menswear, e Rafael Cintra, Head de Digital, da Democrata Calçados

Confira os destaques da nossa conversa!

Quais os principais desafios do e-commerce de moda masculina

Tanto a Buckman quanto a Democrata são empresas tradicionais e de longa data no mercado brasileiro de moda masculina. E isso traz alguns desafios na questão da transição para um operação digital.

Juliane conta que o maior deles foi a mudança de mindset. A Buckman tem uma forte presença no físico e, segundo ela, a abertura do e-commerce da marca gerou uma resistência interna. Afinal, não se tratava apenas de mexer em algo que estava dando muito certo, como também de tirar a empresa da sua zona de conforto de décadas.

A Democrata possui uma atuação um pouco diferente. Rafael comenta que, até 2018, a empresa era muito focada na venda em atacado para lojas multimarcas. Isso fez com que lá também houvesse muito receio entre os sócios em relação ao e-commerce.

Ele fala que uma das maiores preocupações era não agredir o mercado e seus parceiros do varejo com a loja virtual da marca.

Por isso, a implementação foi feita aos poucos, começando mais como um canal de exposição da marca e, somente depois, ganhando força como um comércio eletrônico propriamente dito e com importância dentro da empresa.

Como garantir que os clientes tenham uma experiência de compra consistente no físico e no digital

Rafael diz que não é necessário enxergar esse processo como algo complexo. Para ele, o objetivo de ambos os lados é simples: o cliente quer ter uma boa experiência e encontrar o produto que precisa, e a marca quer garantir essa venda e a satisfação do consumidor.

A partir dessa constatação, Rafael conta que fica muito mais fácil definir uma comunicação consistente nos diferentes canais. Isso envolve unificar as campanhas e ter transparência com franqueados e clientes.

No caso da Democrata, existe uma agenda de promoções e ofertas única para o físico e para o digital (site, redes sociais e e-mail marketing). Segundo ele, isso é fundamental para minimizar os conflitos entre as lojas físicas e o e-commerce.

Juliane acrescenta a questão do atendimento. Para ela, o cliente deve ter a segurança de comprar e ser atendido independentemente dos canais que escolher em cada etapa. E isso também abrange o uso de uma linguagem unificada em todos os canais, para criar uma identidade da marca e dessa adequação ao longo do funil.

Rodrigo ressalta a importância de uma estratégia omnichannel, uma vez que deixou de ser apenas uma tendência e já se tornou uma demanda dos consumidores - principalmente porque grandes players já oferecem essa experiência unificada.

Os principais desafios de logística

O setor de moda costuma apresentar índices altos de trocas e devoluções. Juliane concorda e afirma que o cliente da loja física é diferente do e-commerce. Segundo ela, quem compra no site geralmente está conhecendo a marca, e isso gera um volume maior de trocas.

A questão é que isso traz custos logísticos e relacionados à experiência do usuário com a marca.

No caso da Buckman, ter lojas em diferentes estados ajuda a reduzir esses custos e o tempo que o consumidor deve esperar para conseguir um produto ou fazer uma troca.

Rafael lembra que, hoje, com avanço da legislação e da própria atuação das marcas, os clientes se sentem mais seguros para fazer trocas sempre que necessário.

Nesse sentido, ele conta que, quanto mais a marca melhora seus processos e logística reversa, mais tende a aumentar o número de trocas e devoluções. Tanto é assim, que esses indicadores só avançaram nos últimos cinco anos na Democrata.

E embora seja um desafio e traga custos, Rafael acredita que a logística reversa é o melhor caminho para fidelizar um cliente. Oferecer uma experiência facilitada , desburocratizada e bem informada é fundamental para tornar esse processo o mais rápido possível.

Ainda dentro da logística, ele afirma que o Mercado Livre causou uma grande disrupção no cenário brasileiro. Devido à excelência da empresa nesta questão, Rafael comenta que os clientes tornaram-se mais exigentes com as outras marcas e querem a mesma agilidade que o gigante do varejo oferece.

A solução, ele conta, é apostar na omnicanalidade, na descentralização da operação e nas parcerias logísticas. O avanço de tecnologias que ajudem o consumidor na escolha do produto no site também são cruciais para reduzir as trocas e devoluções.

A mudança no perfil de consumo na operação de e-commerce de moda masculina]

Segundo a Linx, parte do grupo StoneCo, as transações feitas por mulheres representaram 80% do total do ecommerce em 2022. Porém, um estudo recente da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) mostrou uma diminuição para aproximadamente 60% em 2023. Ou seja, os homens estão comprando cada vez mais online.

Para Juliane, isso reflete uma preocupação do público masculino em se vestir melhor e dá maior segurança aos consumidores em comprar em lojas virtuais.

Rafael acrescenta que o público masculino costuma ser mais prático na hora da compra, além de, estatisticamente, consumir menos do que as mulheres. Isso exige das marcas que trabalham com esse público o oferecimento de uma experiência prática e mais simples.

Porém, ele ressalta que o comportamento dos homens vem mudando e é preciso ficar atento.

Assista o episódio completo

O episódio na íntegra já está no ar, então eu te convido para assisti-lo, dando play no vídeo abaixo ou para escutá-lo direto no spotify, clicando aqui!

Curtiu? Então, fique ligado no Digital Commerce - o Podcast e ouça a conversa na íntegra! Você também pode clicar aqui e conferir outros episódios.

Acompanhe também a Betminds nas redes sociais: nós siga no linkedin, no tiktok e no Instagram.

Últimos conteúdos

ver mais conteúdos

Dia dos Namorados de 2024: Vendas Online Crescem 23%

O Dia dos Namorados de 2024 se mostrou um marco significativo para o e-commerce brasileiro, registrando um aumento expressivo de 23% nas vendas online comparado ao ano anterior.

20/6/2024

Live shopping: saiba como realizar vendas ao vivo

Neste episódio do Digital Commerce, conversamos com a responsável pelo e-commerce da PatBO, case sucesso mundial de live commerce.

18/6/2024

Como construir a confiança da marca 

A confiança é uma parte fundamental da natureza humana, e isso se reflete no comportamento dos consumidores. Saiba mais!

13/6/2024