E-commerce

Aprenda como criar as categorias para sua loja virtual

A pandemia ajudou a consolidar uma tendência inexorável nos hábitos de consumo do brasileiro: as compras online. Para crescer é preciso saber o que fazer.

Para se ter uma ideia desse movimento, no ano de 2020, o e-commerce brasileiro registrou crescimento de 73,8%, segundo dados do índice MCC-ENET.

E os bons ventos devem continuar. Levantamento da NeoTrust mostra que as vendas no e-commerce tiveram alta de 57,4% no primeiro trimestre de 2021 em comparação ao mesmo período do ano passado.

Dados como esses mostram que lojas virtuais devem continuar bombando neste ano. Porém, para crescer e se destacar da concorrência, é preciso saber o que fazer e como organizar o seu e-commerce.

E, nesse sentido, um dos pontos mais importantes é o layout e a criação das categorias do site. Por mais que pareça supérfluo, esse é um aspecto que pode impactar diretamente nas suas vendas. Afinal, quanto mais facilmente e intuitivamente o cliente conseguir navegar pela sua loja, maior tende ser a taxa de conversão.

Assim, melhorar a experiência do usuário passa diretamente por criar categorias bem elaboradas e bem definidas. Quando isso é bem feito, sua loja virtual se torna mais profissional, trazendo mais segurança para os consumidores na hora de navegar e comprar.

Mas, afinal, o que é uma categoria em uma loja virtual e qual sua importância?

Categorias nada mais são que uma forma para organizar os produtos vendidos no site de forma mais eficiente. Em outras palavras, trata-se da estrutura do menu da sua loja virtual, ajudando os clientes a encontrarem mais facilmente o que buscam.

Esse menu estará disponível a todo instante para o consumidor, ou seja, elas são um convite constante para que ele encontre outros produtos do seu interesse. Por isso, a escolha das categorias deve levar em consideração não apenas a experiência dos clientes, mas também quem eles são, suas preferências, seus hábitos de consumo e seu modelo mental, isto é, em qual categoria eles acreditam que cada produto estará.

Quantas categorias uma loja virtual deve ter?

É claro que o número de categorias e subcategorias vai variar de negócio para negócio. Quando falamos em pequenas e médias empresas, porém, muitos especialistas defendem um número entre 5 e 8 categorias raízes, que são as divisões principais do menu, que trazem os termos mais importantes para o seu negócio. Já quando falamos em subcategorias, 3 costuma ser o número indicado.

O que evitar?

Trabalhar com meia dúzia de categorias exige um bom planejamento, visto que não são tantas assim. Por isso, é importante evitar divisões muito genéricas e que de fato não ajudem o cliente a identificar o que ele está procurando.

Tenha sempre em mente que, do ponto de vista do consumidor, quanto menos cliques, melhor. Processos de compra muito demorados e trabalhosos são uma porta aberta para que os usuários desistam da compra e abandonem o site.

6 dicas para criar as categorias para sua loja virtual

Agora que entendemos o que são as categorias, sua importância e o que devemos evitar, vamos ver como criá-las. Acompanhe:

1. Simplifique a navegação

Vale repetir: as categorias da loja virtual são uma forma para organizar os produtos com o intuito de tornar a navegação do usuário mais direta e intuitiva. Ou seja, o objetivo principal da categorização dos produtos é facilitar a vida do consumidor. Sendo assim, entre na cabeça do seu cliente e procure pensar como ele. Evite categorias desnecessárias e menus muito extensos.

2. Agrupe os produtos

As categorias devem agrupar os produtos por semelhança ou temática. Pense, por exemplo, em um grande e-commerce de calçados ou vestuário. Geralmente, esses sites separam os itens em grupos bastante abrangentes, como "homens", "mulheres" e "crianças". Dentro de cada uma delas, há subdivisões para o tipo de cada produto, como "calçados" e "roupas íntimas".

E é importante lembrar que um mesmo produto pode pertencer a mais de uma categoria ou subcategoria. Em uma loja virtual de artigos esportivos, por exemplo, uma chuteira estará em "calçados" e também em "futebol".

3. Evite categorias muito específicas

O agrupamento de produtos por semelhança ou temática também tem o objetivo de evitar a criação de categorias extremamente específicas. Além de resultar em menus muito extensos, isso atrapalha na navegação do cliente e aumenta as chances de churn.

4. Utilize palavras-chave

Ao nomear as categorias, use as palavras-chave que o consumidor usaria para encontrar determinado produto. Para descobri-las, tente pensar em como o usuário procuraria por este item nos sites de busca. Uma ferramenta que pode ajudar nessa tarefa é o Google Trends.

5. Visite a concorrência

Em todos os segmentos, é preciso ficar de olho nos concorrentes para tirar aprendizados e se inspirar em algumas ideias. Acesse o site de empresas que atuam no mesmo segmento que você e veja as categorias que eles utilizam.

6. Pense na disposição dos menus

O ideal é que o menu da loja virtual fique visível a todo instante. Para facilitar a navegação e evitar que ocupe muito espaço na tela, uma boa saída são os menus dropdown, que se expandem ao passar o cursor por cima da categoria ou ativados por um clique. Aqui, é recomendado que apenas as categorias-mãe fiquem visíveis permanentemente.

Esperamos que este post tenha ajudado você a entender como criar as categorias para sua loja virtual. Para mais artigos sobre o assunto e mais estratégias para se destacar nas vendas, continue acompanhando o blog da Betminds!

E se você precisa de ajuda para desenvolver estratégias para sua empresa e melhorar suas vendas, fale com a gente!

Acompanhe a Betminds nas redes sociais: curta a página no Facebook, siga no Instagram.

Últimos conteúdos

ver mais conteúdos

Ações de marketing para Black Friday: 10 dicas para faturar bem

Separamos 10 ações de marketing para Black Friday para você pôr em prática no seu e-commerce.

22/9/2022

Estratégias de growth hacking para e-commerce

Esses processos giram em torno de um ciclo que se repete o número de vezes necessário para um projeto atingir os números desejados

26/9/2022

5G no e-commerce e nas relações de consumo do varejo

A nova tecnologia promete impactar uma série de outros setores da economia, interligando serviços e dispositivos e tornando as cidades mais inteligentes

20/9/2022