E-commerce

Quais são as vantagens do Dropshipping?

Saber o que é e como aplicar o dropshipping é uma ótima estratégia para todo e-commerce.

Navegue pelo texto

A internet possibilita a criação de diferentes modelos de negócio; uns não dão certo e outros chegam para ficar. E um dos modelos em ascensão nos últimos anos no e-commerce é o dropshipping.

A seguir, vamos ver mais detalhes sobre o processo de vendas por intermediação e conhecer suas vantagens. Acompanhe!

O que é o dropshipping

Dropshipping é um modelo de e-commerce em que o lojista não mantém um estoque dos produtos à venda, uma vez que cumpre o papel de intermediário entre consumidores e fornecedores.

Nesse modelo, os produtos anunciados não são armazenados nem enviados pelo vendedor. Isso fica sob responsabilidade dos fornecedores.

Essa característica faz com que o dropshipping venha se tornando cada vez mais popular. Afinal, é um modelo de negócio que demanda um investimento muito mais acessível, sobretudo para pequenos varejistas.

Importante ressaltar que, além de atuar como intermediário, o vendedor tem que se dedicar aos esforços de marketing para atrair consumidores para a loja. Além disso, cabe a ele estruturar a loja virtual (ou perfil no marketplace), definir os preços, processar os pedidos e repassá-los aos fornecedores. A infraestrutura de atendimento e pagamento também é de sua responsabilidade.

A cada venda, o lojista recebe uma parcela do valor. É isso que sustenta o negócio financeiramente.

O modelo de dropshipping exige um cuidado muito específico na escolha dos parceiros. Afinal, por mais que o vendedor não seja o responsável pelos produtos e pela parte logística, é seu nome que está na vitrine e sua reputação também está em jogo.

Embora essa estrutura de intermediação seja imperceptível para o cliente, quaisquer problemas com a compra recaem sobre o lojista.

Como funciona o dropshipping?

O modelo de dropshipping é bem claro. Mas vamos repassar todo o processo para entendermos as etapas:

  1. Pedido: como todo e-commerce, o primeiro passo do processo de dropshipping é o pedido do cliente na loja. Como vimos, cabe ao lojista determinar os preços dos produtos e oferecer os meios de pagamento.
  2. Repasse: uma vez recebido o pedido, o vendedor encaminha os detalhes para o fornecedor. Nesta etapa já é feito o repasse do valor de acordo com o que consta em contrato, descontado-se a comissão do lojista.
  3. Envio: com o pedido em mãos, o processo passa a ser responsabilidade do fornecedor. É ele que deve separar o pedido, providenciar a embalagem adequada e cuidar da parte logística (seja com transportadora ou pelos Correios). Embora a embalagem possa constar a identidade visual do vendedor, geralmente é utilizada a do fornecedor.

Importante: caso o cliente desista da compra ou deseje trocar o produto, esse processo deve ser conduzido na plataforma do vendedor. Em seguida, o lojista deve comunicar o fornecedor, que será responsável pela logística reversa.

Quais são as vantagens do dropshipping?

O dropshipping é simples e beneficia tanto lojistas quanto fornecedores, pois divide os esforços de venda.

Algumas das vantagens para os vendedores são:

Investimento inicial acessível

Como comentamos, o fato de o lojista não precisar manter um estoque com os produtos que vende barateia suas operações. Basta uma boa plataforma de vendas para realizar todo o processo.

Aliás, isso não vale apenas para a estruturação inicial da empresa, uma vez que também se reflete em menores custos ao longo de toda sua operação.

Início imediato

Pelo mesmo motivo, um varejista que deseja adotar o modelo dropshipping pode começar a vender imediatamente. Uma vez fechadas as parcerias com os fornecedores, o maior esforço é a estruturação da loja virtual com os produtos disponíveis.

Menos dores de cabeça

A manutenção e controle de estoque e o planejamento da questão logística são algumas das maiores dores de cabeça de um e-commerce. No dropshipping, essas etapas ficam a cargo do fornecedor, livrando o lojista de muitos problemas - embora, lembremos, cabe a ele fornecer atendimento ao cliente durante todo o ciclo.

Pós-venda otimizado

Sem o peso das questões de estoque e entrega, o vendedor pode (e deve) se concentrar em melhorar constantemente a experiência do cliente. E isso envolve também o pós-venda. Vamos lembrar que o lojista é o responsável pelo atendimento, suporte e trocas e devoluções; é seu nome que aparece para o consumidor.

Possibilidade de escalar o negócio

Neste modelo de negócio, é possível crescer sem que isso represente um aumento substancial de custos operacionais ou a necessidade de contratação de pessoal. É possível absorver novos fornecedores e ampliar o mix de produtos com,basicamente, a mesma estrutura de vendas.

Cases de dropshipping

Embora um dos grandes apelos do dropshipping seja sua acessibilidade, isso não significa que este modelo seja adotado apenas por pequenos lojistas. Pelo contrário: muitas empresas grandes encontraram nessa operação uma forma de ampliar seu mix de produtos, diversificar seu e-commerce e lucrar mais.

Vamos conhecer três cases do uso do dropshipping:

Madeira Madeira

A MadeiraMadeira é uma das empresas mais conhecidas de produtos para a casa. Além das lojas físicas, a marca sempre teve grande foco no e-commerce, desde sua fundação, em 2009.

Com uma estrutura atual que conta com mais de 1300 funcionários e 114 lojas físicas, a MadeiraMadeira é pioneira no Brasil no modelo de dropshipping. Sem riscos relacionados a estoque e logística, a empresa conseguiu aumentar a eficiência na cadeia e oferecer menores preços e mais qualidade.

Além disso, aumentou também o leque de produtos. Além dos itens para o lar, hoje ela trabalha com material de construção, eletrodomésticos e decoração. 

Hoje, a MadeiraMadeira trabalha com mais de 400 fornecedores e faz mais de 8 mil entregas por dia. Não à toa, se tornou, em 2021, um dos mais novos unicórnios (empresas que atingem valor de mercado de US$ 1 bilhão) da América Latina.

Aloysius Chay e Galvin Bay

A Bay & Chay é uma empresa que não atua em um nicho específico. A marca foca no que está em alta no mercado e também aposta em novidades. A loja trabalha com dropshipping desde 2016 e, hoje, fatura mais de US$ 60 mil por dia. 

LeoGary.com

A Leo Gary é uma loja de roupas masculinas. A marca, que começou de forma despretensiosa, chegou a registrar faturamento de US$ 800 mil, focando em parcerias qualitativas, isto é, foco total na qualidade dos fabricantes.

Diferenças entre cross-docking e dropshipping?

O dropshipping não deve ser confundido com o cross-docking. Embora ambos os modelos possibilitam que os lojistas reduzam os custos de estoque, existem algumas diferenças que merecem ser citadas.

Em primeiro lugar, os custos iniciais do cross-docking costumam ser maiores. Como vimos, o dropshipping é relativamente acessível e pode ser implementado sem grandes despesas. Isso faz, aliás, que, a longo prazo, esse sistema consiga garantir uma lucratividade superior a do cross-docking.

Outra diferença importante diz respeito à questão logística. No cross-docking, cabe ao lojista não apenas buscar os melhores vendedores, mas também os centros de distribuição onde os pedidos chegarão dos fabricantes e serão expedidos para os clientes.

Já no dropshipping, essa relação com um CD não existe, uma vez que o próprio fornecedor é responsável pela logística de ponta a ponta. Isso pode tirar das mãos do lojista o poder de definir prazos, isto é, com este modelo, o vendedor é realmente apenas um intermediário.

E para mais artigos, cases e estratégias para se destacar com o seu comércio eletrônico, continue acompanhando o blog da Betminds e se inscreva no The Future Of E-commerce, a newsletter com conteúdos todas as segundas, terças e quintas direto no seu e-mail!

Últimos conteúdos

ver mais conteúdos

Dia dos Namorados de 2024: Vendas Online Crescem 23%

O Dia dos Namorados de 2024 se mostrou um marco significativo para o e-commerce brasileiro, registrando um aumento expressivo de 23% nas vendas online comparado ao ano anterior.

20/6/2024

Live shopping: saiba como realizar vendas ao vivo

Neste episódio do Digital Commerce, conversamos com a responsável pelo e-commerce da PatBO, case sucesso mundial de live commerce.

18/6/2024

Como construir a confiança da marca 

A confiança é uma parte fundamental da natureza humana, e isso se reflete no comportamento dos consumidores. Saiba mais!

13/6/2024