Dados do mercado

Webshoppers ed 46: Desempenho do e-commerce brasileiro no primeiro semestre de 2022

O Webshoppers é um dos principais relatórios para e-commerces. Confira alguns insights!

Navegue pelo texto

O 46º relatório de insights do Webshoppers começou tão bom que eu quero parafrasear: R$118,6 bilhões em vendas e um crescimento de 6% em relação ao ano anterior. Este foi o desempenho do e-commerce brasileiro no primeiro semestre de 2022.

Eu sei que a pandemia ainda não acabou, mas com a maioria da população vacinada e a consequente reabertura do comércio, é completamente normal que o e-commerce dê uma freada no seu crescimento. Então, ver esses números apesar da normalidade estar cada vez mais “pré-pandemia” é muito animador.

Então, vamos dar uma olhada nos principais insights do Webshoppers 46 e observar outros dados referentes ao 1º semestre de 2022 no nosso mercado?

Credibilidade dos insights do Webshoppers

É muito fácil escrever um número e dizer que ele se refere a alguma coisa. Por isso, você precisa saber o que está por trás do Webshoppers.

O estudo é publicado pela NielsenIQ Ebit.

A NielsenIQ é uma empresa global de serviços de informação que cobre 90% da população mundial. Eles combinam “conjuntos de dados incomparáveis, tecnologia pioneira e as mentes mais brilhantes do setor para criar insights”, sendo um importante aliado na tomada de decisões.

Enquanto isso, a Ebit é outra empresa, que avalia a credibilidade das lojas virtuais do e-commerce brasileiro e que está no mercado desde 2001.

Sendo assim, a parceria NielsenIQ Ebit (e, por consequência, o Webshoppers), gera uma visualização 360º sobre o mercado brasileiro de e-commerce, sendo sinônimo de credibilidade na apuração, organização e compartilhamento de dados sobre vendas online do Brasil.

E eu quero destacar alguns pontos, iniciando por um overview de todo o e-commerce tupiniquim.

Overview do mercado de e-commerce

Eu já abri o artigo falando do número principal, mas cabe ratificar aqui. O e-commerce brasileiro no 1º semestre de 2022 cresceu 6% em relação ao 1º semestre passado, chegando a R$118,6 bilhões em vendas.

Os três primeiros meses foram os de maior faturamento de todo o período. Além disso, também houve crescimento na comparação referente aos meses individualmente — +21,1% em janeiro, +23,2% em fevereiro e +7,1% em março.

Nos semestres seguintes, houve uma retração. As vendas de abril foram 7% menores em relação aos mesmos 30 dias de 2021 e a mesma tendência se repetiu em maio, que fechou com -2,1%. O saldo positivo só retornou em junho, com 1,1%. Os faturamentos (em bilhões de reais) foram de:

Dias da semana habituais para compra

As melhores performances do e-commerce são de terça a sábado. Essa é uma tendência que também se aplicou em 2021. Mesmo assim, houve crescimento do volume de faturamento em todos os dias, com exceção do domingo, que se manteve.

De acordo com os insights do Webshoppers, o faturamento aumentou em:

Ticket médio

Apesar do crescimento de 6% no faturamento, o ticket médio diminuiu de R$447, em 2021, para R$412 em 2022. Os insights do Webshopper também mostraram um paralelo dos tickets médios de consumidores novos e recorrentes das lojas virtuais:

  • Clientes novos: R$464 (2021) e R$417 (2022)
  • Clientes recorrentes: R$444 (2021) e R$412 (2022)

Crescimento expressivo de Alimentos e Bebidas

A variação do setor de Alimentos e Bebidas neste primeiro semestre foi de incríveis +128%. Este é um número totalmente fora do padrão, tanto que o 2º maior crescimento foi de apenas +24% — para o setor de perfumaria e cosméticos.

O ranking completo do crescimento de cada setor no primeiro semestre de 2022, segundo os insights do Webshoppers, é:

Entre os setores que apresentaram retração, temos:

  1. Telefonia (-18%)
  2. Eletrônicos (-6%)
  3. Eletrodomésticos (-1%)

Regionalidades

Como sempre, o Sudeste é a região brasileira onde o consumo online tem maior concentração. 61% das vendas de todo o nosso e-commerce aconteceram em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.

Porém, o Nordeste é quem mais contribui para o mercado (48%, segundo os dados de insights do Webshoppers). Além disso, o crescimento da região foi de incríveis 15% em relação ao 1º semestre de 2021.

Categorias de FMCG

FMCG é sigla para “Fast Moving Consumer Goods”, ou seja, são produtos de giro rápido. É o caso de bebidas, alimentos embalados, saúde e beleza. As variações de faturamento desses segmentos foram:

  • Bebidas: +12,9%
  • Alimentos: +38,6
  • Saúde e beleza: +12,9%
  • Bazar: -2,3%
  • Páscoa: +50,4%
  • Petshop: +24,1%

Assim como em 2021, março foi o mês com maior número de vendas em 2022. Porém, o aumento foi de 33,3%.

Aplicativos de entrega

Os insights do Webshoppers referentes aos aplicativos de entrega foram gerados a partir de respostas de 2.837 pessoas a 59 perguntas. Eles mostram que a maioria das pessoas fizeram buscas em apps de delivery de supermercado e de farmácia como alternativa de compra.

Isso quer dizer que essas pessoas poderiam, sim, se deslocar até o estabelecimento físico ou então comprar numa loja virtual — mas consideraram pedir pelo app ou avaliar as opções e preços disponíveis antes de decidir.

Veja abaixo os principais motivos de efetuar uma compra no aplicativo, segundo os próprios respondentes:

Cross Border Trade (CBT)

O Cross Border Trade é o comércio além das fronteiras. Cada vez mais as lojas estão considerando essa possibilidade — mesmo que sejam marcas ainda pequenas — devido às facilidades proporcionadas a um comércio online.

De acordo com o levantamento, algumas características do público consumidor de Cross Border Trade são:

  • 58% são do sexo masculino;
  • 41% são do sexo feminino;
  • 62% têm entre 25 e 49 anos;
  • 39% têm renda familiar de até R$4.800.

Numa comparação com o 1º semestre do ano passado, as regiões que mais consomem nesta modalidade são:

  1. Sudeste (58% — em 2021 eram 51%)
  2. Sul (17% — em 2021 eram 18%)
  3. Nordeste (15% — em 2021 eram 18%)
  4. Centro-oeste (7% — manteve do ano passado)
  5. Norte (3% — em 2021 eram 6%)

Resumo dos insights do Webshoppers

Com estes insights, podemos extrair que o crescimento do e-commerce continua a todo vapor mesmo após a reabertura do comércio. Já falei sobre isso em outros artigos aqui: a pandemia digitalizou muitas lojas que, antes, sequer tinham pretensão de investir no online.

Enquanto isso, do lado do consumidor, muitos deles não tinham o hábito de comprar online, ou então compravam pouco. E hoje, estão mais amigáveis ao e-commerce por perceberem suas vantagens.

Esses insights do Webshoppers trazem números que corroboram com tudo isso.

Portanto, se a sua loja física já tem um e-commerce (ou se ela é 100% online) saiba que há muito espaço para crescimento, desde que sua atenção esteja voltada a este business.

Por aqui a gente já falou sobre mobile commerce, live commerce, omnichannel e várias outras inovações que você pode ter em sua loja virtual. Porém, para extrair o melhor desses mundos, é preciso trabalhar corretamente — ou seja, contar com uma equipe de especialistas dedicados ao seu negócio.

A Betminds se propõe a ser o ponto focal para as estratégias digitais de estratégias digitais de crescimento do seu e-commerce. Clique aqui para obter um relatório completo do seu negócio.

E para mais artigos, cases e estratégias para se destacar com o seu comércio eletrônico, continue acompanhando o blog da Betminds e se inscreva no The Future Of E-commerce, a newsletter com conteúdos todas as segundas, terças e quintas direto no seu e-mail!

Acompanhe também a Betminds nas redes sociais: nós siga no linkedin e no Instagram.

Últimos conteúdos

ver mais conteúdos

Black Friday Vapza: Um mês de faturamento em um dia

No dia da Black Friday, a marca teve um aumento de 464% na receita e 686% na conversão comparado ao ano anterior

6/12/2022

E-commerce: resultados da Black Friday 2022

Confira como foram os resultados da Black Friday 2022 e quais as categorias e produtos cresceram suas vendas.

5/12/2022

E-commerce: vendas globais devem aumentar em 15% com as festas de fim de ano

A expectativa é que o e-commerce aumente as vendas de fim de ano em até 15%.

5/12/2022