Dados do mercado

Número de e-commerces no Brasil cresce 16,5%, chegando a quase 2 milhões em 2023

O e-commerce no Brasil está se tornando cada vez mais democrático, atendendo a uma variedade de públicos e regiões. Confira!

Navegue pelo texto

O e-commerce brasileiro viveu um momento de significativa expansão em 2023, com um aumento impressionante de 17% no número de lojas virtuais, atingindo a marca de mais de 1,9 milhão.

Esses dados foram revelados pela pesquisa da BigDataCorp, realizada em 2024, que analisou mais de 20 milhões de sites brasileiros. "O e-commerce no Brasil está se tornando cada vez mais democrático, atendendo a uma variedade de públicos e regiões", observa Thoran Rodrigues, CEO da BigDataCorp.

Perfil dos Novos E-commerces

Há uma tendência clara de crescimento de pequenas empresas no e-commerce, com faturamentos anuais de até R$ 5 milhões. Esta expansão ocorre em paralelo à diminuição na proporção de empresas com faturamentos mais altos, representando agora apenas 2,7% do total.

Mudanças no Modelo de Vendas

A integração entre canais de venda físicos e digitais está diminuindo, com apenas 16,5% dos e-commerces mantendo lojas físicas, em comparação com 19% em 2022. Por outro lado, os marketplaces estão se consolidando como uma força dominante, com um aumento de 61% no número de e-commerces que participam de pelo menos um marketplace.

A presença em marketplaces, como Mercado Livre e Amazon, oferece às lojas virtuais uma maior visibilidade e acesso a um público mais amplo. Isso não só democratiza o e-commerce, atendendo a diferentes públicos e regiões, como também abre novas avenidas para o crescimento das empresas de pequeno porte.

Variedade e Preços dos Produtos

A maioria dos e-commerces foca em produtos com preço inferior a R$ 100, enquanto os itens acima de R$1 mil sofreram uma queda de 20,5% para 15%. Além disso, 68,4% oferecem uma gama limitada de até 10 produtos, sugerindo um foco em nichos de mercado específicos.

Características dos Empreendedores

As empresas familiares representam 73,5% dos e-commerces, e a grande maioria possui menos de 10 funcionários. Empreendimentos individuais são particularmente comuns, representando 45,7% do total.

Foco na Segurança Digital

A segurança é uma prioridade crescente, com 89% dos empreendedores investindo em certificados SSL para proteger as transações online. A aceitação de carteiras digitais como forma de pagamento também está crescendo, mostrando uma adaptação às preferências modernas dos consumidores.

Presença em Mídias Sociais

Com 75,6% dos e-commerces ativos nas redes sociais, a presença digital se tornou fundamental. O Facebook mantém sua liderança como a plataforma mais popular, mas o TikTok está ganhando terreno rapidamente.

Desafios de Acessibilidade

A acessibilidade digital ainda é um desafio, com apenas 1,3% das lojas online atendendo a todos os padrões em 2024, um aumento em relação aos 0,06% de 2022.

Conclusão

O e-commerce no Brasil está passando por uma fase de transformação e crescimento. As pequenas empresas estão emergindo como players significativos, refletindo a diversificação e democratização do setor.

Este cenário demanda uma adaptação contínua às novas tendências de mercado, com um foco especial em segurança, tecnologia e estratégias de marketing digital para atender às expectativas de um público cada vez mais amplo e diversificado.

E se você precisa de ajuda para desenvolver estratégias para a sua empresa e melhorar as suas vendas, fale com a gente!

Acompanhe também a Betminds nas redes sociais: nos siga no linkedin, no tiktok e no Instagram.

Últimos conteúdos

ver mais conteúdos

VTEX Vision Spring '24: Confira todas as novidades da plataforma

Neste ano, a empresa revelou uma série de novidades focadas em AI, novas soluções de produto, e melhorias significativas na plataforma. Vamos conferir?

24/5/2024

Certificação de patentes também é necessário para garantir segurança digital de e-commerces

Repetição de domínios sem suporte legal pode tirar sites do ar e impedir vendas na internet

24/5/2024

A profissão que poderá gerar 90 mil vagas de emprego por ano no Brasil e não é do setor de tecnologia!

Professor da Strong Business School prevê alta demanda de profissionais nos próximos anos. Saiba mais!

21/5/2024