Trends

Macrotendências pagamentos no e-commerce: Inovações e desafios para 2024

À medida que 2024 se aproxima, o setor de e-commerce está à beira de uma revolução nos métodos de pagamento, impulsionada pela crescente digitalização do setor financeiro. Confira!

Navegue pelo texto

À medida que 2024 se aproxima, o e-commerce se depara com transformações significativas nas formas de pagamento. A digitalização, que tomou um ímpeto extraordinário durante a pandemia de 2020, continua a remodelar o panorama dos pagamentos online.

Este artigo explora as macrotendências emergentes em pagamentos e como elas influenciarão o e-commerce no próximo ano, com um foco particular no sistema de pagamentos instantâneos do Brasil, o PIX.

Ascensão dos pagamentos sem dinheiro e a era do PIX

A tendência de transações sem dinheiro vem crescendo globalmente, com uma previsão de que os volumes de pagamentos digitais aumentarão mais de 80% até 2025, elevando as transações de aproximadamente 1 trilhão para 1,9 trilhão por ano. Indo além, até 2030, a expectativa é que esses números quase tripliquem, sinalizando uma mudança significativa no comportamento de consumo e nas estratégias de pagamento.

No Brasil, o PIX se tornou um protagonista, transformando o ecossistema financeiro. Desde sua introdução em 2020, o PIX superou todas as formas tradicionais de pagamento, indicando uma preferência crescente por métodos de pagamento mais rápidos e convenientes.

Inclusão financeira, pagamentos digitais e o papel dos Superapps

A inclusão financeira, impulsionada pelo PIX, revolucionou o acesso ao sistema financeiro no Brasil. De 2017 a 2022, houve um salto significativo na porcentagem da população com conta corrente, de 57% para 82%, refletindo uma maior integração na economia digital.

Esta transformação foi ainda mais reforçada pela adoção de métodos de pagamento inovadores como pagamentos via QR code, carteiras digitais e dinheiro móvel, que oferecem transações de baixo custo e alta acessibilidade.

Paralelamente, os superapps têm emergido como facilitadores chave nesta evolução. Estes aplicativos multifuncionais não apenas simplificam o uso de serviços financeiros, mas também integram uma variedade de funcionalidades, desde transações bancárias até compras e entretenimento, consolidando-se como plataformas centrais para interações diárias dos usuários e contribuindo significativamente para a inclusão financeira e a digitalização dos pagamentos.

O declínio das interfaces de cartões e bancos tradicionais

A tendência é a diminuição do uso das interfaces tradicionais de banco e cartões. A iniciação dos pagamentos está migrando para carteiras digitais suportadas por open banking, alterando a forma como os consumidores interagem com seus recursos financeiros. Essa mudança implica que as redes de cartões e as soluções de carteiras digitais precisarão se adaptar para manter sua relevância.

Desafios de segurança: prevenção a crimes financeiros

Com a ascensão do PIX e dos pagamentos digitais, a prevenção a crimes financeiros se torna um desafio crucial. Instituições financeiras e reguladores estão intensificando esforços para combater fraudes, aprimorando sistemas de monitoramento e análise de dados. A aplicação de inteligência artificial para detectar padrões suspeitos e a verificação rigorosa da identidade dos usuários são estratégias chave. Além disso, a educação dos consumidores sobre práticas seguras de transações digitais é fundamental para mitigar riscos e construir um ambiente de pagamentos mais seguro e confiável.

Inteligência artificial e pagamentos móveis

A inteligência artificial (IA) está revolucionizando os pagamentos online, oferecendo soluções cada vez mais sofisticadas e seguras. Sistemas de IA são capazes de analisar extensos padrões de compra, proporcionando insights valiosos sobre o comportamento do consumidor. Isso não só aprimora a experiência do usuário através de ofertas de pagamento personalizadas, mas também fortalece a segurança ao detectar e prevenir fraudes de forma proativa.

Paralelamente, as redes sociais estão emergindo como novos veículos para transações financeiras. Plataformas como Instagram e Facebook estão desenvolvendo funcionalidades que permitem aos usuários realizar compras diretamente nas mídias sociais, integrando a experiência de compra ao cotidiano digital dos consumidores.

Essa convergência entre redes sociais e plataformas de pagamento evidencia um futuro onde a facilidade, a personalização e a segurança são fundamentais nos processos de pagamento digital.

O consumidor brasileiro na vanguarda da digitalização

O consumidor brasileiro está entre os mais engajados globalmente na adoção de novos métodos de pagamento. A demanda por experiências de pagamento eficientes e integradas ao e-commerce é uma prioridade. Assim, as empresas devem acompanhar essas tendências e se antecipar para oferecer operações modernas e tecnológicas.

Perspectivas futuras do PIX em 2024

Após três anos de sucesso e aceitação generalizada, o PIX se prepara para um salto significativo em 2024 com a introdução de novos recursos. O PIX Parcelado emerge como uma solução inovadora, proporcionando aos usuários uma forma prática de dividir pagamentos em parcelas. Essa funcionalidade representa uma alternativa viável ao crédito tradicional, mantendo a agilidade e a simplicidade características do PIX.

Já, o PIX Automático promete revolucionar os pagamentos recorrentes. Com esse recurso, será possível automatizar transações periódicas, como assinaturas e mensalidades, de forma eficiente e sem custos adicionais. Essas inovações apontam para um futuro onde o PIX não só mantém sua relevância, mas também expande seu alcance, oferecendo ainda mais facilidade e flexibilidade nas transações financeiras do dia a dia.

PIX Offline e Open Finance

O PIX Offline visa possibilitar transações sem a necessidade de internet, expandindo o alcance dos pagamentos instantâneos. Já o Open Finance, que promove a interoperabilidade e o compartilhamento de dados financeiros, está entrando em uma nova fase, integrando-se mais profundamente ao PIX e expandindo as possibilidades de transações financeiras.

PIX Offline

O PIX Offline representa uma evolução significativa no sistema de pagamentos instantâneos do Brasil, visando aumentar sua acessibilidade e conveniência. A ideia central do PIX Offline é permitir transações via PIX mesmo sem uma conexão ativa à internet, o que pode ser particularmente útil em regiões com cobertura de internet limitada ou em situações onde a conectividade é um problema.

Para viabilizar o PIX Offline, são consideradas várias tecnologias:

  1. NFC (Near Field Communication): Permite pagamentos por aproximação. Os smartphones equipados com NFC podem realizar transações PIX ao serem aproximados de um dispositivo compatível.
  2. RFID (Radio Frequency Identification): Similar ao NFC, mas com um alcance potencialmente maior, permitindo transações sem contato físico direto.
  3. Bluetooth: Uma alternativa para realizar transações sem internet, usando conexões Bluetooth para transferir informações de pagamento.
  4. Biometria: Utilização de dados biométricos, como impressões digitais ou reconhecimento facial, para autenticar transações PIX.

Essas tecnologias não apenas ampliam o acesso ao PIX, mas também abrem possibilidades para casos de uso específicos, como pagamentos em transportes públicos, pedágios e estacionamentos.

Open Finance

Open Finance, anteriormente conhecido como Open Banking, é uma iniciativa que visa a interoperabilidade e o compartilhamento de dados financeiros entre diferentes instituições. O objetivo é dar aos consumidores mais controle sobre suas informações financeiras e promover o acesso a serviços financeiros mais personalizados e eficientes.

Principais aspectos do Open Finance:

  1. Compartilhamento de Dados: Os clientes podem compartilhar seus dados financeiros com diferentes prestadores de serviços, aumentando a competitividade e oferecendo melhores condições e produtos financeiros.
  2. ITP (Iniciador de Transação de Pagamento): Uma funcionalidade que permite concluir transações financeiras, como pagamentos e transferências, dentro do ambiente de um aplicativo sem precisar alternar entre diferentes plataformas.
  3. Expansão de Serviços: Com o Open Finance, espera-se que uma variedade maior de serviços financeiros seja oferecida, como gestão de finanças pessoais, crédito personalizado e serviços de investimento.
  4. Interoperabilidade: O Open Finance busca facilitar a integração entre diferentes plataformas e instituições financeiras, tornando as operações mais fluidas para os usuários.
  5. Segurança e Privacidade: Embora promova a partilha de dados, o Open Finance mantém um foco rigoroso na segurança e na privacidade dos dados dos clientes.

Ao integrar o PIX com o Open Finance, cria-se um ecossistema financeiro mais dinâmico e interconectado, onde os pagamentos instantâneos podem ser realizados de maneira mais integrada e os clientes têm mais poder e controle sobre suas finanças.

Desafios e inovações em segurança

No contexto dos pagamentos instantâneos, como o PIX, os desafios e inovações em segurança ocupam um lugar central. À medida que esses sistemas se tornam mais populares e abrangentes, também aumentam os riscos associados a fraudes e atividades criminosas. No entanto, com esses desafios, surgem também oportunidades para inovações significativas na área de segurança financeira.

Desafios em Segurança

  1. Fraudes e Engenharia Social: Um dos maiores desafios é o aumento das fraudes, especialmente aquelas baseadas em engenharia social, onde os fraudadores enganam os usuários para obter acesso a suas contas ou realizar transações fraudulentas.
  2. Vazamentos de Dados: O risco de vazamentos de dados pessoais e financeiros é uma preocupação constante, dada a quantidade de informações sensíveis processadas pelos sistemas de pagamento.
  3. Ataques Cibernéticos: Com o aumento do volume de transações digitais, os sistemas de pagamento se tornam alvos mais atraentes para hackers e ataques cibernéticos.
  4. Desafios Regulatórios: A evolução rápida da tecnologia muitas vezes supera a capacidade dos órgãos reguladores de acompanhar, criando lacunas na legislação e na fiscalização.

Inovações em Segurança

  1. Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquina: Estas tecnologias estão sendo cada vez mais utilizadas para detectar padrões de fraude, analisar comportamentos de transações e identificar atividades suspeitas em tempo real.
  2. Autenticação Multifator e Biometria: A implementação de métodos de autenticação mais robustos, como a biometria e a autenticação multifator, ajuda a aumentar a segurança das transações.
  3. Blockchain e Criptografia Avançada: O uso de blockchain e criptografia avançada oferece maior segurança nas transações, garantindo a integridade e a confidencialidade dos dados.
  4. Cooperação entre Instituições: A colaboração entre diferentes entidades financeiras e reguladoras é fundamental para compartilhar informações sobre ameaças e desenvolver estratégias de segurança conjuntas.
  5. Educação e Conscientização do Usuário: Investir em campanhas de educação para os usuários sobre práticas seguras de pagamento é crucial para prevenir fraudes baseadas em engenharia social.
  6. Monitoramento Contínuo e Análise de Risco: Sistemas de monitoramento contínuo e análise de risco ajudam a identificar e mitigar ameaças de forma proativa.

Esses desafios e inovações mostram um campo dinâmico, onde a segurança dos pagamentos instantâneos é uma corrida contínua entre desenvolver novas defesas e adaptar-se a ameaças emergentes. A chave para o sucesso nesse ambiente é uma abordagem multifacetada que combine tecnologia avançada, colaboração interinstitucional e educação dos usuários.

Internacionalização do PIX e o futuro dos pagamentos instantâneos

A internacionalização do PIX e o futuro dos pagamentos instantâneos representam uma evolução significativa no cenário financeiro global, especialmente no contexto brasileiro. Com a crescente adoção do PIX, o Brasil se posicionou como um líder na implementação de sistemas de pagamentos instantâneos, inspirando outras nações a seguir um caminho similar.

O conceito de internacionalização do PIX está alinhado com a tendência global de simplificar e agilizar transações financeiras além das fronteiras nacionais. A ideia é que, através do PIX, brasileiros possam realizar transações instantâneas não só dentro do país, mas também com outros países. Isso não apenas facilitaria o comércio e as transferências pessoais internacionais, mas também posicionaria o Brasil como um modelo inovador em sistemas de pagamento globais.

Alguns passos já foram dados nessa direção. Por exemplo, na Argentina, o PIX é utilizado para facilitar transações para turistas brasileiros, e há discussões em andamento para a expansão do sistema para outros países da América Latina e até para nações fora do continente.

O projeto Nexus, que visa a unificação dos sistemas de pagamento instantâneo de diferentes países, é um exemplo disso. A integração do PIX a esse sistema facilitaria as transações internacionais, promovendo uma maior interconectividade financeira global.

O futuro dos pagamentos instantâneos, impulsionado pelo PIX e sistemas semelhantes em outros países, promete uma série de desenvolvimentos. Espera-se uma maior integração com tecnologias emergentes, como inteligência artificial e machine learning, para melhorar a segurança e personalização das transações. Além disso, pode-se esperar uma expansão na variedade de serviços oferecidos, como pagamentos parcelados e automatizados, e a integração com outras plataformas digitais, como superapps e marketplaces online.

Também é provável que vejamos uma maior adoção de pagamentos instantâneos em setores além do varejo, como em serviços públicos, transporte e turismo, melhorando a eficiência e a experiência do usuário em diversos aspectos da vida cotidiana.

A internacionalização do PIX e a evolução dos pagamentos instantâneos indicam um futuro em que as transações financeiras são mais rápidas, seguras e convenientes, independentemente das fronteiras geográficas, consolidando um sistema financeiro global mais integrado e acessível.

Conclusão

As macrotendências em pagamentos que dominarão o e-commerce em 2024 refletem uma era de transformações significativas. A crescente digitalização dos pagamentos, impulsionada por inovações como o PIX, está redefinindo a maneira como as transações são conduzidas.

As empresas de e-commerce precisam se adaptar rapidamente a essas mudanças para oferecer experiências de pagamento eficientes e seguras, alinhadas com as expectativas dos consumidores modernos.

A intersecção entre tecnologia, segurança e experiência do usuário será o campo de batalha para as empresas que buscam liderar no dinâmico mercado de e-commerce do futuro.

E se você precisa de ajuda para desenvolver estratégias para a sua empresa e melhorar as suas vendas, fale com a gente!

Acompanhe também a Betminds nas redes sociais: nos siga no linkedin, no tiktok e no Instagram.

Últimos conteúdos

ver mais conteúdos

Temu: Um Novo Gigante no Comércio Eletrônico

A Temu, pertencente à PDD Holdings, empresa-mãe da Pinduoduo, expandiu rapidamente sua presença, sendo frequentemente comparada com gigantes do e-commerce como Shein, Amazon e Shopee.

28/5/2024

Arezzo&Co anuncia mudança de nome para Azzas 2154 após fusão com Grupo Soma

O novo nome, Azzas 2154, faz referência ao ano 2154, utilizado pelo CEO Alexandre Birman como um lema de visão estratégica e futuro para a companhia, com o slogan ”Arezzo rumo a 2154”.

28/5/2024

VTEX Personal Shopper: O que é e como funciona

Com o aumento da demanda por personalização e atendimento exclusivo, o VTEX Personal Shopper surge como uma inovação essencial para empresas que buscam melhorar o atendimento, aumentar a conversão e reduzir custos operacionais.

24/5/2024