Podcast

Como ter ideias de negócios que faturam milhões

Neste episódio do Digital Commerce, conversamos com Lincoln Almeida, da Uniquebox para falar sobre a empresa, o produto e o mercado. Ouça e assista!

Navegue pelo texto

Inovar em um mercado tão saturado não é fácil. Mas também não é impossível. Existem demandas latentes e nichos ainda inexplorados que podem trazer retornos interessantes (para não dizer milionários) para os empreendedores mais ousados.

Um desses casos é a Uniquebox. Surgida da insatisfação profissional de um engenheiro recém-formado, ela se tornou um produto único e original no mercado de presentes, trazendo rendimentos milionários, inclusive com unidades fora do País.

Para falar mais sobre a empresa, seus desafios e sua história, batemos um papo com Lincoln Almeida, ​​Founder da Uniquebox. Confira os destaques da nossa conversa!

O que é a Uniquebox?

A Uniquebox é uma caixa de luz feita de madeira e que projeta ícones e palavras quando acesa. A empresa foca em profissões e mensagens personalizadas, posicionando-se como uma opção de presente para familiares e amigos.

Os desafios do negócio

Lincoln conta que iniciou sua jornada sozinho e isso trouxe uma série de desafios. Engenheiro de formação, ele tinha o conhecimento para criar novos objetos, mas não para viabilizá-lo no mercado.

O início da Uniquebox foi bem "artesanal". Lincoln criou um site na plataforma Wix, tirando fotos do produto em casa e compartilhando a novidade no Facebook.

Após vender algumas unidades para pessoas próximas, ele colocou o produto à venda no Mercado Livre. No entanto, como era uma novidade, uma opção até então desconhecida no mercado, as vendas não decolaram.

Diante de um impasse, Lincoln ficou em estratégias de SEO, segmentando diferentes públicos e focando, por exemplo, em profissões específicas. A medida deu certo e a demanda aumentou, inclusive com pedidos para outros tipos de mensagem.

O que fez a Uniquebox estourar de vez foram as mensagens de namorados. Lincoln comenta que, conforme o Dia dos Namorados se aproximava, as vendas aumentavam. Para se ter uma ideia, ele chegou a registrar mais de 200 unidades vendidas em um só dia.

Hoje a empresa tem unidades até mesmo no exterior e planeja a entrada no mercado dos Estados Unidos.

Os impactos da pandemia

Lincoln fala que a apreensão com a pandemia impactou diretamente a empresa, fazendo com que as vendas caíssem pela metade de uma hora para outra.

No entanto, ele conta que, conforme as pessoas se acostumaram com o cenário de restrições e nova realidade, as vendas voltaram a disparar. De 2020 para 2021, a Uniquebox triplicou o número de vendas. No Dia dos Namorados deste ano, a empresa contava com mais de 60 pessoas para dar conta da operação.

Lincoln aponta o fato de a empresa ser nativa digital como um facilitador. Ele diz que a experiência dos anos anteriores à crise preparou o negócio para "surfar a onda" do aumento das vendas do e-commerce por conta das restrições. A produção chegou ao patamar de mil Uniquebox por dia.

Os canais de venda

O e-commerce é o carro-chefe da Uniquebox. No entanto, Lincoln sabia da importância de diversificar e foi em busca de outros canais. O Mercado Livre é uma das plataformas utilizadas, mas não representa um número tão significativo de vendas.

Lincoln conta, então, que foi atrás de lojas físicas para vender o produto. No caso, a saída de melhor retorno foram as lojas de presentes. Porém, foi preciso criar toda uma estratégia para chamar atenção para a Uniquebox e fazer com que as pessoas entendessem o produto.

Ele comenta que, a partir dessas medidas, as vendas nos pontos físicos melhoraram, mas ainda dependem muito do engajamento dos vendedores para explicar e demonstrar a Uniquebox para os clientes.

Porém, essa era uma alternativa muito trabalhosa. Por conta disso, Lincoln preferiu focar os esforços da empresa no e-commerce e na divulgação das redes sociais.

Ele também aponta algo importante: cada produto gera mais engajamento em um canal. Como a Uniquebox é algo que tem um forte apelo emocional para os clientes, Lincoln fala que canais como Google não dão resultados tão bons. Para a empresa, os melhores retornos acontecem com o Instagram e o Facebook.

A questão da recorrência

Por se tratar de um produto que é adquirido majoritariamente como um presente, um dos desafios da Uniquebox são as recompras.

Lincoln chega a comentar que, por conta dessa característica, o foco da empresa é na aquisição de novos clientes, até porque, hoje, eles conseguem trabalhar com uma boa margem em cada unidade.

Ele também diz que foram feitos testes de estratégias para tentar aumentar a recorrência, mas não valeram a pena em relação ao retorno do investimento.

Participação no Shark Tank Brasil

Lincoln também conta a história da sua participação no reality show de empreendedorismo, Shark Tank Brasil. E há uma razão para ele falar desse programa em específico: o Shark Tank teve papel importante na história da Uniquebox.

Após frustrações profissionais no começo da carreira, Lincoln queria ser empreendedor, mas não sabia por onde iniciar sua jornada. Para ter ideias, ele passou a assistir a todos os episódios de Shark Tank que encontrasse, não importando a edição ou o país. Foram meses ligado no reality e centenas de episódios assistidos até o início da ideia do produto.

Com a empresa já estruturada e rodando, Lincoln viu a oportunidade de participar da edição brasileira, sobretudo para dar visibilidade e conseguir investimentos para expandir seus negócios.

Ele se inscreveu e conseguiu uma vaga. Foram semanas se preparando para construir o pitch de vendas perfeito. Esse processo envolveu inclusive contato com amigos e conhecidos da área de vendas para ajudar a lapidar a apresentação.

Como o programa é gravado em São Paulo, Lincoln dirigiu quase 8 horas de Curitiba à capital paulista. Durante o trajeto, ele conta que ficou o tempo todo repassando seu pitch.

No dia da gravação, ele foi um dos últimos a se apresentar - tempo de espera que ele usou para treinar ainda mais a apresentação. Ele comenta que a gravação levou mais de uma hora, em que ele conseguiu mostrar o produto e maravilhar os "tubarões" (como são conhecidos os investidores do programa).

Embora tenha conseguido atrair investimento, Lincoln fala que, infelizmente, a burocracia e a demora fizeram com que ele tivesse que seguir outro caminho, abrindo mão do valor. No entanto, ele fala que a participação no reality foi importante para aumentar a certeza do potencial da empresa e do seu produto. E ele estava certo.

Assista o episódio completo

O episódio na íntegra já está no ar, então eu te convido para assisti-lo, dando play no vídeo abaixo ou para escutá-lo direto no spotify, clicando aqui!

Curtiu? Então, fique ligado no Digital Commerce - o Podcast e ouça a conversa na íntegra! Você também pode clicar aqui e conferir outros episódios.

Acompanhe também a Betminds nas redes sociais: nós siga no linkedin, no tiktok e no Instagram.

Últimos conteúdos

ver mais conteúdos

Temu: Um Novo Gigante no Comércio Eletrônico

A Temu, pertencente à PDD Holdings, empresa-mãe da Pinduoduo, expandiu rapidamente sua presença, sendo frequentemente comparada com gigantes do e-commerce como Shein, Amazon e Shopee.

28/5/2024

Arezzo&Co anuncia mudança de nome para Azzas 2154 após fusão com Grupo Soma

O novo nome, Azzas 2154, faz referência ao ano 2154, utilizado pelo CEO Alexandre Birman como um lema de visão estratégica e futuro para a companhia, com o slogan ”Arezzo rumo a 2154”.

28/5/2024

VTEX Personal Shopper: O que é e como funciona

Com o aumento da demanda por personalização e atendimento exclusivo, o VTEX Personal Shopper surge como uma inovação essencial para empresas que buscam melhorar o atendimento, aumentar a conversão e reduzir custos operacionais.

24/5/2024