Podcast: o passo a passo para marcas explorarem o formato

Segundo pesquisa Ibope, o número de pessoas que escutaram podcasts regularmente em 2020 aumentou em 33%. São mais de 28 milhões de brasileiros com mais de 16 anos que ouvem esse formato de material com frequência. Em 2019, um outro levantamento do Ibope apontava que 40% dos internautas do Brasil já haviam escutado esse tipo de conteúdo ao menos uma vez.

É interessante notar algumas particularidades do público que costuma ouvir os podcasts no Brasil. De acordo com o mesmo estudo de 2020, 53% dos ouvintes têm até 34 anos e mais da metade, 51%, é da classe C. Como é de se esperar, a maior concentração de interessados nos conteúdos em áudio está na região Sudeste, com 46% dos ouvintes regulares.

Dados como esses mostram o potencial dos podcasts para as estratégias de comunicação das empresas. A praticidade do consumo dos conteúdos em áudio, permitindo ouvi-los enquanto a pessoa realiza outras atividades, é um dos grandes trunfos desse formato, que alcança diferentes públicos.

Mas, afinal, o que é podcast?

Podcasts são conteúdos de áudio que são gravados em episódios e disponibilizados em diferentes plataformas online, desde blogs próprios a aplicativos como Soundcloud, Spotify e Deezer. Os formatos são os mais diversos, variando desde programas de entrevistas a conteúdos apresentados por uma única pessoa, geralmente tratando de temas específicos.

Leia mais: 7 motivos para incluir posts em áudio na estratégia de conteúdo

Como criar um podcast para sua empresa

1. Planejamento

Nesta etapa, deve ser definido o objetivo do podcast, isto é, como e por que esse formato de conteúdo pode ajudar nas estratégias de marketing da sua empresa. E, para isso, é necessário considerar alguns pontos, como:

Público: é preciso determinar para quem você falará. Isso é fundamental para definir o tom, a linguagem e os temas que serão utilizados no programa. Para isso, utilize a persona que foi elaborada pelo seu time de marketing e vendas.

Concorrência: pesquise se seus concorrentes já produzem podcasts e o tipo de conteúdo que eles costumam abordar.

Tema: A definição do tema é importante para direcionar o melhor formato: bate-papo, debate, entrevistas, monólogos etc.. Lembre-se de escolher temas que dizem respeito à expertise da sua empresa e que sejam de interesse do seu público.

Convidados: fazer entrevistas é uma alternativa interessante para contar sempre com conteúdos diversos e que despertem a atenção do público.

Personalidade: é preciso considerar o tom que será adotado pelo(s) apresentador(es) durante o programa para criar a própria personalidade. Por exemplo: o podcast de uma empresa voltada para o público jovem não vai ser bem recebido se adotar uma linguagem formal, semelhante a um jornal radiofônico. Outro fator que entra neste tópico é a escolha da trilha sonora.

Frequência: assim como as postagens no blog e nas redes sociais da empresa, é preciso planejar a frequência com que os episódios serão produzidos e publicados. É fundamental manter um calendário consistente, publicando sempre nos mesmos dias e horários. Isso ajuda a fixar a marca junto ao público e criar o hábito junto aos ouvintes.

Duração: de acordo com o público, o tema e a proposta, defina também a duração média dos episódios. Este é um passo que, com o tempo, vai ficar mais fácil de ser definido, mas é bom começar com uma base concreta: o programa terá meia hora ou uma hora?

2. Gravação

Depois de considerar todos os aspectos que definirão a cara do podcast da sua empresa, é hora de iniciar as gravações. Assim como acontece com a realização de webinars e lives, é preciso contar com uma boa estrutura que ajude a garantir a qualidade do programa.

Uma sala com bom isolamento acústico, microfones de qualidade e softwares para captação são o básico para que tudo ocorra bem e nenhuma parte do programa seja comprometida por ruídos ou interferências. Se o episódio contar com entrevistas feitas remotamente, pesquise com antecedência como garantir a melhor qualidade do áudio do convidado e como captá-lo.

Outro elemento crucial é o roteiro: jamais comece a gravação do podcast sem um roteiro definido. Não precisa ser algo extremamente detalhado; uma lista em tópicos, com a ordem do que vai ser dito, é de extrema importância para que o apresentador não se perca e o papo possa fluir normalmente. A definição desse “esqueleto” do programa também vai ser fundamental para o processo de edição do podcast. 

3. Edição

A edição de áudio costuma ser bem mais tranquila do que a edição de vídeos. Afinal, você estará lidando com uma única banda de som e nada mais. O que pode complicar esse processo é a introdução das trilhas e transições e a padronização dos aspectos técnicos.

O primeiro passo é o corte do conteúdo em si: é preciso retirar erros e partes desnecessárias ou redundantes, introduzir as vinhetas e garantir que o conteúdo esteja com a duração planejada.

Um dos principais fatores na hora da edição é a equalização e a normalização dos microfones. Nem sempre o áudio é captado de maneira uniforme: o volume dos microfones pode estar desregulado na hora da gravação, uma das pessoas pode ter começado a falar mais alto ou mais baixo, o apresentador pode ter se afastado do microfone etc.

Ao introduzir as trilhas de fundo, certifique-se de mantê-las em um volume que não atrapalhe a compreensão do que está sendo dito. Outro aspecto técnico que merece atenção é certificar-se de que o som está nos dois canais de áudio (esquerdo e direito). Caso contrário, ao exportar o programa, alguns usuários podem ter problemas para ouvi-lo.

4. Publicação e divulgação

Gravado e editado, é hora de colocar o podcast no ar. Como comentamos, existem diversas plataformas em que você pode publicar seus programas, sendo Spotify e Soundcloud as mais conhecidas. 

Não se esqueça de criar uma sessão junto ao seu blog para publicar seus conteúdos em áudio. Assim que for publicado, divulgue-o em redes sociais e por e-mail marketing, disponibilizando o links para que os usuários possam acessá-lo mais facilmente.

Por fim, vale lembrar que o podcast também pode ser rentável para a empresa. Da disponibilização de espaço para patrocinadores à venda de produtos – o famoso “jabá” – durante o programa, é possível monetizar o conteúdo e torná-lo um projeto ainda mais importante dentro da empresa.

Leia mais: 10 gatilhos mentais que vão aumentar as suas vendas

Esperamos que este post tenha ajudado você a entender como sua marca pode fazer o seu próprio podcast e explorar esse formato. Para mais conteúdos sobre o assunto e mais estratégias para se destacar com marketing digital, continue acompanhando o blog da Betminds!

E se você precisa de ajuda para desenvolver estratégias para sua empresa e melhorar suas vendas, fale com a gente!

SAIBA MAIS

👉 Youtubers: 8 dicas para bombar seu canal
 👉Como transformar a audiência do seu Canal do Youtube em clientes recorrentes
👉 Tudo o que você precisa saber sobre Inbound Marketing
👉 10 dicas para você dominar o Instagram Reels

Acompanhe a Betminds nas redes sociais: curta a página no Facebook, siga no Instagram.

 

Compartilhar:
Tk Santos

Tk Santos

Sócia e CMO na Agência Betminds, formada em Publicidade e Propaganda, MBA em Transformações Digitais com mais de 6 anos de experiência em Marketing e Produção de Conteúdo Digital.

Deixe uma resposta