XP Investimentos estima que E-commerce deve crescer 32% em 2021

Em 2021, o e-commerce deve continuar em alta, após o aumento exponencial no ano passado devido à pandemia de Covid-19. Neste ano, a alta deve ser 32%, segundo expectativa do relatório da XP Investimentos.

O levantamento mostra uma visão otimista do mercado para um país que ainda tem muito espaço para a expansão do e-commerce. Em 2019, por exemplo, a taxa de penetração das vendas online ficou em 6%. No ano passado, esse índice cresceu e fechou em 9%. (mais…)

Comércio eletrônico cresce 68% em 2020 e dobra participação no varejo

O E-commerce registrou um salto recorde em 2020, refletindo o aumento na demanda por conta da pandemia de coronavírus e também o maior número de empresas que decidiram entrar na venda online.

Segundo levantamento da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), em parceria com a Neotrust, o crescimento nas vendas foi de 68% na comparação com 2019, elevando a participação do e-commerce no faturamento total do varejo, que passou de 5% no final de 2019 para um patamar acima de 10% em alguns meses do ano passado.

(mais…)

10 Dicas Para Melhorar o Processo de Checkout de Sua Loja Online

É uma situação muito comum tanto em lojas físicas quanto online: o consumidor escolhe os produtos, coloca no carrinho e… não compra nada. Quem tem uma loja online sabe que isso acontece o tempo todo.

Para se ter uma ideia, nos últimos anos, a taxa de abandono de carrinho no e-commerce brasileiro ficou acima dos 80%. Ou seja, 8 em cada 10 visitantes nunca se tornaram compradores, deixando de completar sua experiência nas lojas online. (mais…)

Tendências do e-commerce para 2020

Pandemia anunciada pela OMS traz uma oportunidade alavancar negócios ao mesmo tempo em que contribuem para evitar o contato interpessoal durante a crise

O comércio eletrônico no Brasil caminha a passos largos, em 2010, obteve um faturamento de R$ 16,8 bilhões. Em 2019, 9 anos depois, esse número subiu para R$ 75,1 bilhões, e em 2020, deve ultrapassar a barreira dos R$ 106 bilhões, segundo Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Trata-se de um mercado gigantesco e extremamente variado, que tem se mostrado resistente às inúmeras crises que afetam o varejo.

O setor tem se beneficiado bastante da mudança de hábitos do consumidor brasileiro, principalmente com a crise do Covid-19, que tem utilizado com cada vez mais frequência a internet para fazer compras.  (mais…)